Quem passou por aqui

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Poema da saudade

Se em prosa
as palavras desarticulam,
em versos
fazem arte,
como a arte
de uma criança arteira.

E se os versos
dão ao bom-dia
um bom dia cantado,
rodemos igual a meninada
em volta da árvore.

Se tem tanta saudade,
que choremos de alegria,
que a saudade não passa.

Até porque
nossos velhos versos
saudam a saudade
com a plena certeza
de que tudo, tudo,
valeu a pena.

Luiz Augusto Rocha

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

drama & comédia

Compor um drama é fácil,
dá-se um tapa na cara
em quem jurava amar
e pronto.

Veja se do mesmo modo
procede com a comédia...
Ela requer inteligência!

Começo, meio e fim:
todas as suas tensões,
dramáticas por si,
E a comédia na distensão.

Onde eu deixei minha comédia?
– Onde se compra um drama qualquer.


Luiz Augusto Rocha

Quase-me

Fui quase um herói de guerra.
Estive quase perto do presidente.
Tive quase a grande sorte da loteria.
Escrevi quase um poema eterno,
mas que perdeu-se de si.

O que me angustia mesmo
é esquecer-me no quase,
dançando nos olhos
dos olhos alheios.

Luiz Augusto Rocha