Quem passou por aqui

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Norte

Às quatro e quinze da tarde de hoje,
eu parei por um segundo.
Senti cada gota de suor,
cada batida do coração,
cada passarinho cantando eu ouvi.
Nesse instante eu pensei...
E disse, chega!

Hoje, eu me dei a minha alforria.
Com tudo a que tenho direito,
a liberdade de sonhar,
a possibilidade de agir.
Conscientemente, eu fiz a minha lei áurea.
derrubei a minha prisão,
soltei os meus bandidos inocentes.

Mas, estou ciente das consequências.
Eu sei que, agora,
estou na vala dos comuns.
Estou sem a perspectiva cruel
de uma vida entre as bitolas do trem...
E como isso é bom!

Luiz Augusto Rocha

Um comentário:

Andre de Paula Eduardo disse...

Fala Goiaba! Forte abraço pra ti, guri da Amazônia!
Andre ( o Hebreu)