Quem passou por aqui

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Para escrever

Elimine os adjetivos,
cuidado com os verbos em desuso,
nada de substantivos prolixos,
clichês estão proibidos.

Palavras soltas, esqueça:
o Dadaísmo é démodé.

Escreva o máximo! Com o mínimo...

Abrace seu rancor parecendo blasé
(ignorando que é pura falta de educação)

Volte novamente às classes
gramaticais, é claro.

Orações coordenadas
só se subordinadas à curtição.

Compartilhe, desde que
paguem os direitos autorais.

Divague sobre o nada
mostrando ser excepcional
no começo, meio e fim.

Em suma, escreva por duas ou três horas
antes que acabe o vínculo.

Por fim, esqueça esta nossa precariedade.

“– Caramba!
Como é difícil fazer poesia”
Vão dizer os poetas.

Mas, o Poeta, mesmo,
há de se omitir sobre o tema
enquanto sonha a vida.

Luiz Augusto Rocha

Nenhum comentário: